As empresas estão preparadas para a crise?

Se o ralo está aberto, é hora de fechar a torneira.

Em tempos de incertezas econômicas, o grande desafio das empresas é reduzir custos com o intuito de se manter competitivas. Para produzir mais gastando menos sem comprometer a qualidade dos produtos e serviços, é necessário focar no controle das perdas, ou seja, fechar a torneira do desperdício em atividades que não agregam valor real ao negocio.

Tomar esta atitude é necessário. A empresa deve aproveitar para avaliar a sua estratégia de mercado, aperfeiçoar processos internos, integrar sistemas de gestão, implementar controles que auxiliem na tomada de decisão e capacitar seus colaboradores para melhor atender os clientes.

Embora as empresas possuam diversas ferramentas e sistemas para gerenciar informação, lhes falta objetividade para garantir a perfeita execução de normas, procedimentos e tarefas.

Soluções direcionadas a construir valor genuíno para os produtos e serviços de seus clientes, agregando solução às ferramentas em uso na organização tornaram-se fundamentais. Sistemas de ERP, CRM e BI sozinhos não resolvem os problemas de uma empresa. Para sobreviver à crise as empresas precisam observar onde e como há evasão de recursos para iniciar rapidamente a revisão de seus processos internos, utilizando-se dessas ferramentas para facilitar esse processo.

Nesse foco, a adequação das empresas nas disposições da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) assume importância vital, visto que se trata de gestão de riscos relativa ao tratamento de dados pessoais de clientes, fornecedores, colaboradores, stakeholders, shareholders, dentre outros.

A gestão do negócio sem a devida análise de planejamento faz com que as pessoas envolvidas nas tarefas produtivas desperdicem tempo precioso e recursos vitais ao crescimento da empresa, uma vez que, não seguir os processos definidos ou mesmo, não ter esses processos estabelecidos, podem fazer com que todos os esforços direcionados ao treinamento e capacitação de colaboradores tornem-se inúteis.

Com a otimização de processos evita-se desperdício, diminui-se custos, aumenta a qualidade do produto, melhora o atendimento aos clientes, aumenta-se as vendas, permite treinar melhor a sua equipe e controla-se efetivamente os resultados financeiros.

Quanto mais organizada uma empresa, menos tempo perde o gestor com atividades administrativas e de controle e consegue focar seu tempo em ações mais estratégicas tais como monitorar a concorrência, desenvolver ações de mídia, treinar e motivar a sua equipe, investir na melhoria do atendimento aos clientes, inclusive com participação pessoal no relacionamento direto com os clientes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *