Um dos mai­o­res cibe­ra­ta­ques da his­tó­ria pro­vo­cou len­ti­dão nos ser­vi­ços de inter­net, com o risco de o pro­blema se agra­var, dis­se­ram espe­ci­a­lis­tas, ontem, depois que uma empresa espe­ci­a­li­zada em blo­quear men­san­gens não soli­ci­ta­das, ou “spam”, ter se tor­nado um alvo.

O Spamhaus — grupo sem fins lucra­ti­vos com sedes em Lon­dres e Gene­bra, que ajuda a blo­quear “spam” -, infor­mou que foi alvo de um ata­que dis­tri­buído de nega­ção de ser­viço (DDoS, na sigla em inglês) em uma escala sem pre­ce­den­tes durante mais de uma semana. Nesse tipo de ata­que, um site é sobre­car­re­gado com soli­ci­ta­ções simul­tâ­neas de acesso, a ponto de sair do ar.

Com base na escala do ata­que regis­trada, ava­li­ada em 300 giga­bits por segundo, pode­mos con­fir­mar que este é um dos mai­o­res DDoS até esta data”, infor­mou a empresa de segu­rança Kas­persky Lab. “Pode haver inter­rup­ções em uma escala maior à medida que os ata­ques se agravarem.”

O Spamhaus divulga lis­tas que são usa­das pelos pro­ve­do­res de ser­vi­ços de inter­net para eli­mi­nar spam do fluxo de e-mails. O grupo é direta ou indi­re­ta­mente res­pon­sá­vel por fil­trar até 80% das men­sa­gens diá­rias de spam, segundo a Cloud­flare, empresa que infor­mou estar aju­dando o Spamhaus a ate­nuar o ataque.

Esta­mos sob esse ata­que há mais de uma semana”, disse o executivo-chefe da Spamhaus, Steve Lin­ford, à emis­sora bri­tâ­nica BBC. “Eles estão mirando todas as par­tes da infra­es­tru­tura de inter­net que sen­tem que podem derrubar”.

Fonte: Valor Econô­mico — Empresas

Sér­gio Hen­ri­que Tedeschi

Mes­tre e Espe­ci­a­lista em Direito Empresarial

Pro­fes­sor de Direito Empre­sa­rial, Tra­ba­lhista e Tributário

sergio@tep.adv.br